Família Aziz ministrando na Europa

Como família acreditamos que parte do nosso chamado é o de mobilizar a Igreja ao redor do mundo, especialmente em países que não tem tradição com missões, para a causa do Reino de Deus no Oriente Médio, principalmente entre a Igreja Sofredora e os refugiados.  

Em 2015, o pastor Homero teve a oportunidade de ministrar na Europa, numa conferência para pastores e líderes. O evento tinha sido organizado pela Drop Inn, um dos ministérios aos quais estamos ligados. Desde então, passamos a receber voluntários e equipes da região e finalmente surgiu também a oportunidade de gastar algumas semanas ministrar, ter reuniões e encontros com pastores e líderes nessa parte específica da Europa. Os parceiros nestes países nos abençoaram com uma porcentagem das despesas e outros parceiros  nossos com o restante. Acreditamos que pudemos contribuir para o despertamento missionário nos lugares que visitamos e servimos. Do mesmo modo, nos sentimos muito acolhidos, amados e abençoados em cada casa que ficamos hospedados, em cada igreja que pregamos ou em cada encontro que tivemos. 

Para nossa surpresa, alguns países ainda são muito fechados, por causa dos resquícios de restrições da época da União Soviética. Até 2012, por incrível que pareça, uma das nações pela qual passamos ainda constava na Classificação de Perseguição Religiosa da Portas Abertas. Em todos os lugares que íamos ministrar, sempre duas pessoas ficavam do lado de fora observando se alguém do governo ou autoridades apareceriam. Por segurança, não pudemos inclusive divulgar fotos de ministério enquanto estávamos em certos países. Homero pregou em várias igrejas, compartilhou em grupos pequenos, ministrou num encontro de pastores e até ministrou um louvor bem brasileiro em uma das comunidades. Fomos convidados para pregar na maior igreja do país, mas por causa das restrições não podíamos fazê-lo no espaço principal. É interessante observar que ainda há perseguição e que, há dois anos, um pastor coreano foi expulso do país por pregar em uma das igrejas que ministramos. Ainda assim, tivemos várias oportunidades como família de desafiar os cristãos dessa localidade a um compromisso renovado com Cristo e com a obra que Ele está realizando agora no Oriente Médio e nos refugiados.

Nos reencontramos com viajantes que tinham vindo servir conosco e conhecemos outros potenciais voluntários. Oramos por dois casais que querem servir como missionários e aconselhamos alguns jovens que estão caminhando para o mesmo caminho. Interceda pelos frutos para o Reino. Acreditamos que este é o momento da nossa geração de cristãos provindos de países sem tradição histórica de missões de somar aos esforços já realizados por outros para juntos alcançarmos muitos povos ainda não alcançados para Jesus. Ore por isto!

Fotos